Tempo, fator realmente relevante para o progresso econômico, e não o abstrato “progresso técnico”



Comentário:

O tempo é o fator marcante para o progresso, e não o chamado “avanço técnico”. Assim como uma máquina que escrevia diretamente no papel era um progresso por poupar tempo a quem, já habituado, passou a escrever mais rapidamente (além de padronizar escrita, etc), o computador de computador foi um progresso em relação àquela máquina por poupar tempo de correção, troca de tinteiro, etc. E assim a batalha dos softwares, dentro dos mesmos hardwares, é ganha por aquele que lhe faz poupar mais tempo, além de ser mais intuitivo, pois se não o for, não poupará tempo.

Vendo meramente pelo lado do tempo, também foram avanços significativos em poupar tempo alheio: fogão, microondas, máquina de lava-louça, máquina de secar, invenções hidráulicas da casa, etc. Sem falar nas inúmeras avanços industriais e públicos que possibilitaram a generalização desses inventos na sociedade.

E aqui se chega ao ponto crucial para o católico temente a Deus: quanto tempo se pode ter poupado não roubando, não matando, enfim, obedecendo aos mandamentos de Deus? Aqui mora a questão que nenhum economista revolucionário quer tratar: o que mais faz avançar a sociedade é a sua moralidade prática, e não as suas “instituições”, como um prêmio Nobel pontuou.

Como disse S. Bernardo de Claraval no Medievo: “o tempo é tão precioso que nem Deus pode lhe dar de volta”.

Por essa e outras razões, não se sente tanto outros problemas inflacionários como outrora poderia se sentir. Segue um trecho bom de um artigo opinativo que ilustra este conceito, embora erre ao cogitar que o banqueiro está triste por causa da falta de lucro. O banqueiro revolucionário está triste pela falta de apoio ao pecado. Nenhum outro político, vendo o sucesso popular do PIX, terá a audácia de o abolir.

***

Por que os banqueiros andam assinando manifestos?
Alexandre Garcia 27/07/2022 21:51


“Agora tem o Pix; banqueiro deixou de cobrar taxa na hora de se transferir dinheiro de uma conta para outra. Na hora em que você paga uma conta, ou recebe, não custa mais nada, o banqueiro deve estar furioso.

Banqueiro é aquele pessoal que botou um homem pelado para as crianças olharem, aquele pessoal que fez uma propaganda contra carne, eles entendem muito de finanças, lucro, juros, mas acho que não entendem muito de gente. Daqui a pouco também tem empreiteiro reclamando que não paga mais propina para ter vantagem em empresa estatal, é só o que está faltando”


https://www.gazetadopovo.com.br/vozes/alexandre-garcia/banqueiros-manifestos-democracia/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s